Notícias

Compartilhe nas redes sociais:

Comitê RH da Acaps realiza primeira reunião de trabalho

O Comitê RH da Acaps iniciou as atividades em reunião realizada no último dia 12 de janeiro. O encontro virtual teve a participação de 16 profissionais de Recursos Humanos que atuam em supermercados associados à Acaps e são membros do comitê. Na pauta, assuntos como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os impactos nas relações de trabalho, diversidade nas empresas x gestão de conflitos, medidas trabalhistas adotadas pelos supermercados na pandemia e gestão de benefícios para redução de custos.

A reunião contou com a presença de especialistas, que dividiram seus conhecimentos com os participantes e se colocaram à disposição para esclarecer dúvidas. Os convidados foram a consultora Ariane Mendonça, da Ensicon; o professor e escritor José Antônio Rosa; o advogado José Arciso Fiorot Junior, da assessoria jurídica da Acaps; Andreika Maciel, da Resultare Soluções Empresariais; e Filipe Braga, da Nafis/RealSeg.

Ariane Mendonça ressaltou a importância de os supermercados se adequarem às exigências da LGPD sob o risco de sofrerem penalidades. Segundo ela, as mudanças têm impacto direto no Departamento Pessoal e no Recursos Humanos das empresas. “A lei Nº 13.709 dispõe sobre o tratamento de dados de pessoa física. Ela é de 2018 e foi entrando em vigor em etapas. Efetivamente, as regras estão valendo desde setembro do ano passado e quem ainda não se adaptou deve buscar cumprir as determinações. As sanções começam a ser aplicadas em agosto deste ano”, explicou.

De acordo com Ariane, a lei veio proteger dados pessoais como nome, telefone, CPF e e-mail, exigindo que as empresas que lidam com as informações tenham todo o cuidado ao lidar com elas a fim de evitar vazamento. “O titular tem direitos em relação aos seus dados e precisa autorizar a manipulação e o repasse de dados. O que significa que ao contratar um funcionário, a empresa deve ter autorização dele por escrito”, orienta.

Já o professor José Antônio Rosa, que ministra cursos em faculdades e plataformas virtuais sobre diversidade, afirmou que o tema tem relação direta com a produtividade nas organizações. Para ele, quanto mais diversificadas forem as empresas, mais produtivas elas serão.

“No mundo inteiro, inclusive, há uma consonância das empresas sobre o assunto. E é importante que isso seja trabalhado no âmbito da gestão, a fim de modernizar as empresas, e no ângulo da comunicação. A empresa deve não só aceitar a diversidade como celebrá-la. E para criar essa cultura é importante inserir as gerências em treinamentos para que elas se tornem mais sensíveis ao assunto”, ressalta José Antônio.

Segundo ele, viver em uma sociedade diversificada sempre trará vantagens. “Vejo como uma vantagem extraordinária. Dessa forma, usamos toda a força produtiva disponível e ainda ganhamos uma sociedade mais alegre. A gente ganha para trabalhar. Se puder trabalhar feliz, a vida melhora”, diz o professor.

A reunião foi avaliada pelos participantes como “muito produtiva” e o próximo encontro do Comitê RH foi agendado para 09 de março. Assuntos ligados à segurança do trabalho e normas sanitárias foram sugeridos para serem debatidos na segunda reunião.

Outras Notícias